Sexualidade da Mulher

Sexualidade da Mulher

A saúde sexual é um dos itens de qualidade de vida segundo a Organização Mundial de Saúde. É importante que a mulher se conheça sexualmente e que trate as possíveis dificuldades de sua sexualidade.

Diferente dos homens, as mulheres muitas vezes se excitam (lubrificam) primeiro e o desejo vem depois. Assim, a falta de desejo feminino – por si só -, não é considerada uma doença pelas classificações modernas. Além disso, a maioria das mulheres não atinge o orgasmo só com a penetração. Precisam de mais estímulos.

Por outro lado, também diferente dos homens, para que a mulher consiga reproduzir ela não precisa se excitar e nem ter orgasmo. Porém, é extremamente desejável que tais fatos ocorram.

Assim, as dificuldades sexuais da mulher são:

Transtorno do Orgasmo Feminino: é a dificuldade da mulher em chegar ao clímax. Na maioria das vezes são necessárias boas preliminares para que o orgasmo aconteça, pois é mais difícil que ele ocorra só com a penetração.

Transtorno do desejo e excitação feminina: a mulher tem dificuldades para ter lubrificação, ereção do clitóris e desejo.

Transtorno da Dor Gênito–Pélvica/Penetração: muitas mulheres têm dores na penetração, chamadas de Dispareunia. Podem ter também contração da vagina que dificulta ou impede a penetração, o que é chamado de Vaginismo.

Disfunção Sexual Induzida por Substância/Medicamento: muitos remédios podem acarretar as disfunções sexuais descritas acima. Por isso, é importantíssimo saber todas as medicações que a pessoa toma e se estas interferem na função sexual.

Além das disfunções sexuais, a mulher pode ter inúmeras fantasias. Muitas delas podem funcionar como um tempero para as relações sexuais. Outras podem ser fontes de sofrimento e merecem atenção terapêutica (vide Transtornos Parafílicos).

A mulher pode ser homo, hetero ou bissexual. Pode também ser transexual (vide Homossexualidade e Transexualidade).